Atenção Pré-Hospitalar

 

imagem

Atenção Pré-Hospitalar

 

SAMU 192

Inaugurado: 26 de julho de 2004.
• A implantação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) em Curitiba é resultado do esforço feito pelo município no sentido de implementar a assistência pré-hospitalar no âmbito do SUS.
• O SAMU 192 faz parte da Política Nacional de Urgências e Emergências, e ajuda a organizar o atendimento na rede pública prestando socorro à população em casos de emergência. Com o SAMU 192, o governo federal está reduzindo o número de óbitos, o tempo de internação em hospitais e as sequelas decorrentes da falta de socorro precoce. O serviço funciona 24 horas por dia com equipes de profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e socorristas que atendem às urgências de natureza traumática, clínica, pediátrica, cirúrgica, gineco-obstétrica e de saúde mental. 
• Em Curitiba, o SAMU 192 integra o Sistema de Urgência e Emergência do município, que é composto por: oito Centros Municipais de Urgências Médicas – CMUM; Central de Ambulâncias, para o transporte sanitário; Complexo de Regulação Médica; Ambulâncias de Suporte Avançado de Vida; Ambulâncias de Suporte Básico de Vida e Helicóptero para resgate e remoção (parceira entre o Ministério da Saúde / Polícia Rodoviária Federal e o Município de Curitiba).

 

O que é SAMU
• Serviço público de ajuda médica de urgência que atende 24 horas por dia.
• Acionamento fácil e gratuito pelo público, através do número 192.
• É um sistema de alta qualidade que contribui para a otimização dos recursos de saúde pública em matéria de urgência promovendo a equidade de   cuidados.
• Assegura escuta médica permanente.
• Garante auxílio médico e internações hospitalares a todo cidadão brasileiro.
• Responde a todo tipo de chamado no menor tempo possível: desde um conselho médico ao atendimento de uma catástrofe.
• Garante o transporte do paciente até o hospital mais próximo ou o indicado pelo cidadão e seus familiares.
• Organiza o acolhimento do paciente e mantém informada, desde o local da urgência, a equipe médica que irá recebê-lo no hospital.
• Participa da elaboração e do desenvolvimento dos planos de contingência, no atendimento a situações de catástrofes ou com múltiplas vítimas.
• Participa da formação em urgência dos profissionais de saúde.
• Elabora e desenvolve cursos de formação em primeiros socorros para a população, como elo importante na cadeia de sobrevivência.
• Está integrado com outros SAMU de sua região, dando e recebendo apoio para o cumprimento das missões.
• Viabiliza o transporte hospitalar pelo meio mais adequado.
• Desenvolve planos de atenção médica para cobertura de eventos de natureza diversas (religiosos, esportivos, festividades locais, entre outros).
Saiba Mais
• Um dos principais focos do SAMU é a organização de uma rede de atenção integral para atendimento às urgências, regulando o fluxo dos pacientes da atenção básica até a alta complexidade. O SAMU tem um forte potencial ordenador da assistência, como forma de responder a todas demandas de urgência, sejam elas no domicílio, no local de trabalho, em vias públicas ou onde o paciente vier a precisar do SUS.
• A Central de Regulação do SAMU garante um canal de comunicação do público com o sistema de saúde. Assim, o usuário tem o seu pedido de socorro acolhido, priorizado e atendido no menor intervalo de tempo possível, no local mais adequado à resolução do seu problema de saúde.
• O SAMU, através de sua Central de Regulação, funciona como um observatório privilegiado do sistema de saúde, por meio do qual pode se identificar precocemente as principais causas de morbimortalidade e as necessidades sociais em saúde não atendidas de uma determinada comunidade ou população.
• O atendimento rápido a quadros agudos de natureza traumática e clínica, através do envio de ambulâncias de suporte básico e avançado (UTIs Móveis) com equipes de saúde, contribui para diminuir significativamente o índice de mortes precoces.


Quando chamar o SAMUsamu 001
• Na ocorrência de problemas cardio-respiratórios
• Em casos de intoxicação, trauma ou queimadura
• Na ocorrência de quadros infecciosos
• Na ocorrência de maus tratos
• Em trabalhos de parto
• Em casos de tentativas de suicídio
• Em crises hipertensivas
• Em acidentes com vítimas
• Em casos de choque elétrico
• Em acidentes com produtos perigosos
• Na transferência de doentes de uma unidade hospitalar para outra.

 

Como Chamar
• Se você identifica uma situação de urgência, disque 192. Este número é gratuito, não exigindo o uso de cartões telefônicos;
• Identifique-se e diga qual é o problema que está ocorrendo com o paciente.
• Responda as perguntas efetuadas pela telefonista (TARM) de forma clara e correta;
• Forneça endereço completo, indicando pontos de referência de como chegar mais rapidamente. Isto reduz os riscos da ambulância gastar tempo procurando o local;
• Quando estiver conversando com o médico procure informar para o mesmo qual é o problema, quem é a vitima, sua idade (mesmo que aproximada) e o sexo.
• Faça observações também sobre doenças prévias, medicações e a evolução das queixas;
• Verifique ainda se a pessoa está acordada ou desacordada, além de transmitir outras informações. Elas permitirão que o médico regulador tome as melhores decisões e mande o melhor recurso para cada tipo de atendimento;
• Em caso de trauma, identifique quantas vítimas têm no local, se existe alguma presa nas ferragens, o estado de consciência das mesmas e como e o que de fato ocorreu. Siga os conselhos orientados pelo médico regulador enquanto aguarda a chegada do socorro;
• Solicite uma outra pessoa para esperar e sinalizar para a ambulância quando a mesma estiver chegando ao local;
• Qualquer nova informação ligue novamente para 192 e relate as mudanças ocorridas.

 

Estrutura e Equipamentos
• Para atender a população com a qualidade e a velocidade que as urgências requerem, o SAMU exige uma estrutura eficiente e equipamentos adequados para responder com competência às demandas. Assim, por trás do serviço que chega à vítima, há toda uma engrenagem envolvendo profissionais qualificados, treinados e com experiência em suas funções.
• Sob o ponto de vista assistencial, o serviço envolve os seguintes profissionais: médicos reguladores e intervencionistas; auxiliares e técnicos de enfermagem; enfermeiros assistenciais.
• A estrutura física dispõe de: Central de Regulação Médica das Urgências, com fácil acesso ao público, por via telefônica (192), em sistema gratuito, e o envolvimento de outros profissionais não oriundos da área de saúde, como: telefonistas, rádio-operadores e condutores de veículos de urgência.