Rede de Atenção e Proteção à Pessoa Idosa em Situação de Risco para a Violência

           O envelhecimento populacional é um fenômeno verificado por meio do aumento na proporção de pessoas idosas (de sessenta anos e mais), resultante do declínio das taxas de natalidade, da queda das taxas de mortalidade e do aumento da expectativa de vida.
           O número de pessoas idosas multiplicou-se aproximadamente três vezes em quarenta anos, chegando a representar quase 11% da população brasileira em 2010.
           Somando-se aos aspectos fisiológicos próprios do processo de envelhecimento e às doenças comuns nesta faixa etária, a pessoa idosa está também suscetível à violência e, com ênfase, à violência doméstica ou intrafamiliar.
         À luz desse cenário, o Município de Curitiba acrescentou às suas tantas outras iniciativas inovadoras, a implantação da “Rede de Atenção e Proteção à Pessoa Idosa em Situação de Violência”. No dia 10 de dezembro de 2012, em evento público realizado no Hospital do Idoso Zilda Arns, ocorreu o lançamento do “Protocolo de Atenção e Proteção à Pessoa Idosa em Situação de Risco para Violência” que tem por finalidade nortear, pactuar e estabelecer o processo de organização de todas as ações desta Rede.

 

Definição:

             A  Rede  de  Atenção e Proteção à Pessoa Idosa em Situação de Risco para a  Violência é alicerçada em um  conjunto de  ações  integradas e intersetoriais desenvolvidas pelo Município  de  Curitiba, com a missão de  prevenir as situações de risco por violação de direitos, atender e proteger  à pessoa idosa em  situação de risco para a violência ou em situação  de violência.

Objetivo Geral:

Promover e fortalecer as ações municipais de prevenção da violência e de atenção e proteção à pessoa idosa que se encontra em situação de risco para a violência ou em situação de violência, mediante articulação e atuação intersetorial  e integrada.
  

Objetivos Específicos:
- Promover as ações de prevenção da violência.
- Ampliar a identificação de situações de risco para a violência e/ou de violência contra a pessoa idosa.
- Notificar os casos suspeitos e ou confirmados de violência, preenchendo a ficha de notificação obrigatória, atendendo ao fluxo de encaminhamento pré-estabelecido.
- Implementar ações de atenção e proteção em situações de violência contra a pessoa idosa.

Quem é a pessoa idosa?
De acordo com a Lei 8.842 de 04 de janeiro de 1994, art. 2º da Política Nacional do Idoso, considera-se idosa, para efeito desta Lei, a pessoa com sessenta anos ou mais.

Os tipos de violência contra a pessoa idosa podem ser:

Física: agressão com o uso de força física, armas ou objeto, causando ferimentos.
Sexual:  estupro, sexo forçado no casamento e outros.
Psicológica: humilhação, ameaça, chantagem, isolamento e ridicularização causando dano emocional.
Moral: calúnia (acusar de crime não cometido), ou difamação (falar mal da reputação perto de uma ou mais pessoas), ou injúria (xingar e ofender a dignidade).
Patrimonial: quebrar objetos pessoais, esconder ou destruir documentos, usar dinheiro da aposentadoria  ou bolsa família.
Negligência: falta de cuidados básicos, de alimentação, de medicamentos ou de higiene.
Institucional: exercida por profissionais nos próprios serviços ou instituições, por exemplo, em  casas de repouso ou  serviços de atendimento.

A Rede de Atenção e Proteção à Pessoa Idosa em Situação de Risco para a Violência é formada por profissionais de várias instituições, envolvidos  no enfrentamento  à violência. Ela precisa da participação da comunidade, informando sobre a ocorrência de maus tratos contra pessoas idosas!

O envelhecimento do corpo faz parte do desenvolvimento humano;  devemos  compreender que  a  pessoa idosa tem direito a um envelhecimento saudável e digno.

Portanto, fique alerta:

 Pessoas idosas com aspecto descuidado, que apresentem marcas no corpo mal explicadas ou sinais de quedas frequentes e que tenham familiares ou cuidadores indiferentes a elas, podem estar sendo vítimas de violência.

Onde procurar orientação ou denunciar :
•    Unidades Municipais de Saúde
•     Serviços Regionalizados da FAS
•     Delegacia mais perto de sua residência
•     Ouvidoria da Secretaria Municipal da Saúde:  0800-64-40041
•     Central  Municipal:  156
•     Disque Idoso do Paraná: 0800-41-0001
•     Disque 100 (Direitos  Humanos, nacional)


 Casos de violência contra a mulher com 18 anos  de idade ou mais :
•    Centro de Referência e Atendimento à Mulher em Situação de Violência, fone (41) 3338-1832
•    Delegacia  Especializada da Mulher de Curitiba, fone (41) 3219-8600

Hospitais de referência para atendimento de vítimas de violência sexual com 12 anos ou mais, até 72 horas depois da agressão:
•    Hospital de Clínicas: Rua General Carneiro, nº 181, no Pronto-atendimento da Maternidade, fone: 3360-1826
•    Hospital Evangélico: Rua Augusto Stellfeld, nº 1905, 7º andar, fone 3240-5120

 

protocolo idoso  Protocolo da Rede de Atenção e Proteção à Pessoa Idosa em Situação de Risco para a Violência