Autocuidado apoiado

O Autocuidado Apoiado consiste na sistematização de intervenções educacionais e de apoio realizadas pela equipe de saúde com o intuito de ampliar a habilidade e a confiança das pessoas em gerenciarem suas condições de saúde. As ações que as pessoas desempenham no seu dia a dia para prevenir, controlar ou reduzir o impacto das condições crônicas de que são portadoras caracterizam o AUTOCUIDADO. Já as intervenções da equipe de saúde para auxiliar as pessoas a qualificarem este processo caracterizam o APOIO AO AUTOCUIDADO.

As intervenções educacionais englobam duas dimensões. No âmbito da condição crônica, é importante que as pessoas conheçam a mesma e saibam quais são as metas do cuidado e as possibilidades de tratamento. No âmbito do cuidado, é preciso compreender que a mudança de comportamento é processual e que existem estratégias efetivas para a concretização da mesma. Reconhecer e lidar com a ambivalência, elaborar um plano de ação, resolver problemas do cotidiano, enfrentar situações de risco e manter o foco na mudança são algumas das habilidades que as pessoas precisam treinar com o apoio dos profissionais de saúde.

Para a equipe de saúde, é fundamental reconhecer o contexto pessoal, cultural e político como dimensões importantes na dinâmica de mudança de comportamento. Desta maneira, estabelece-se uma relação ética onde a valorização do outro, da sua história de vida e da sua capacidade em resolver seus problemas é considerada. Com o apoio dos profissionais de saúde, o usuário é quem decide quais comportamentos quer adotar neste momento, pactua e elabora um plano de ação para isso. A equipe de saúde acompanha e monitora este processo, auxiliando-o a adequar seu plano de acordo com os resultados alcançados. É uma parceria que se estabelece entre os profissionais de saúde, os usuários, seus familiares e a comunidade, para a construção de competências necessárias ao cuidado de si.

O Manual do Profissional sobre o Autocuidado Apoiado pretende qualificar as ações da equipe de saúde neste processo. Para tanto, propõe a utilização de técnicas efetivas de aconselhamento de pessoas e grupos que precisam considerar a possibilidade de mudar comportamentos. O manual foi dividido em três partes. A parte 1 aborda o referencial teórico, a parte 2 descreve o apoio ao autocuidado prestado pela equipe de saúde e orienta a utilização do Caderno de Exercícios. A parte 3 relata o roteiro dos encontros dos Grupos de Reeducação Alimentar da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba. Já o Caderno de Exercício para o Autocuidado Apoiado traz atividades e exercícios que auxiliam as pessoas na mudança de comportamento, funcionando como um diário neste processo. As informações anotadas no caderno poderão ser consultadas toda vez que as pessoas quiserem relembrar os exercícios. Ele pode ser utilizado individualmente ou em atividades de grupo, potencializando, assim, o processo de mudança