Curitibinhas aprendem técnicas de primeiros socorros na escola

samuzinho

Nesta quinta-feira (31/10), curitibinhas da Escola Municipal CAIC Guilherme Lacerda Braga Sobrinho, no Sítio Cercado, aprenderam a fazer massagem cardíaca na primeira turma do Projeto Samu na Escola. Participaram 22 alunos de 8 a 10 anos de idade.

As crianças receberão aulas de primeiros socorros e de como acessar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que atende pelo telefone 192. O projeto faz parte das estratégias do Ministério da Saúde para conscientizar a população sobre a prevenção de acidentes. Em Curitiba é desenvolvido pelas secretarias municipais da Saúde e da Educação e conta com o apoio da Defesa Civil e da Guarda Mirim.

O objetivo é ensinar as crianças a prevenir acidentes, doenças, não passar trotes para o Samu e orientá-las a agir em situações de emergências.

Para o coordenador do Núcleo de Educação Permanente do Samu, Gerson Albuquerque, esta é uma idade importante para passar o conhecimento. “Eles estão em uma fase de desenvolvimento, de construção de novos saberes. Além de aprender, se tornam replicadores das informações para os adultos”, explicou.

“Com uma boa orientação, uma criança pode ajudar a salvar uma vida. Ninguém quer precisar usar técnicas de primeiros socorros, mas, se acontecer, o ideal é saber o que fazer”, disse o enfermeiro Gerson.

Serão cinco encontros semanais com duas horas de duração. As instruções são ministradas por profissionais do Samu e contam com o aporte dos equipamentos usados na rotina da capacitação dos socorristas. Aqueles que concluírem todas as aulas receberão a carteirinha de socorrista mirim.

Utilização do desfibrilador
A primeira aula foi sobre ressuscitação cardiopulmonar e utilização do desfibrilador externo automático (DEA). Após a apresentação do tema os alunos foram convidados à prática.

“Liga no 192 e chama o Samu. Depois tenta localizar o DEA, que eu vou iniciar a massagem cardíaca”, disse Jeremias Chagas, 10 anos. Com segurança e demonstração de domínio do conteúdo, o menino iniciou a simulação de atendimento à uma vítima com parada cardiorrespiratória.

Para ele é bom saber como proceder em casos de emergência. “Não é fácil fazer a massagem, mas agora, se acontecer uma situação assim e eu estiver por perto, eu já sei o que fazer”, contou Jeremias.

Gabriela Belizário Carolina, 10 anos, já fez um curso de primeiros socorros e ajudou com as orientações. “Vocês esqueceram de verificar a segurança do local antes de iniciar o atendimento”, advertiu aos colegas.

Preocupada com a família e amigos ela se candidatou para mais essa capacitação em primeiros socorros.

“Caso aconteça alguma coisa assim eu já estou prevenida para salvar as pessoas e chamar ajuda profissional”, disse Gabriela.

O curitibinha Deny Willian Mello, 10 anos, interessado em todos os detalhes, encheu os instrutores de perguntas. “Qual mão eu devo usar? Por quanto tempo tem que fazer a massagem? E se a pessoa começar a se mexer?”, questionou. “Eu quero poder ajudar as pessoas, ajudar salvar vidas”, ressaltou.

Próximas aulas
Nos próximos quatro encontros no CAIC Guilherme Lacerda Braga Sobrinho os alunos terão aulas teóricas e práticas sobre manobras de desobstrução de vias aéreas, atendimentos iniciais em caso de fraturas, imobilização, uso de bandagens, ataduras e curativos, crise convulsiva, prevenção de acidentes como queimaduras, quedas, hemorragias e como utilizar os serviços do Samu.

Eles também irão conhecer o interior da ambulância do Samu e descobrir como funcionam os equipamentos.

Programação
6/11 - 8h30 às 10h30: manobras de desobstrução de vias aéreas adulto e infantil. Apresentação da ambulância do Samu, materiais e equipamentos

14/11 - 8h30 às 10h30: atendimento inicial conforme 9ª edição PHTLS (Prehospital Trauma Life Support). Fraturas e imobilização – uso de bandagens e ataduras e curativos

21/11 - 8h30 às 10h30: crise convulsiva, queimaduras, quedas, hemorragias

28/11 - 8h30 às 10h30: simulado final, encerramento

Unidades de Saúde

Confira a lista de endereços dos equipamentos da SMS.

Leia Mais

Orientação e Prevenção

Veja como ter uma vida saudável e manter hábitos de proteção da sua saúde.

saiba mais

Ouvidoria SUS Curitiba

Sugira, Critique, Elogie e tire suas duvidas. Conheça a Ouvidoria do SUS Curitiba.

Saiba Mais

 

Taxa de mortalidade infantil

A taxa de mortalidade infantil em Curitiba apresenta uma tendência constante de queda.

taxaMortalidade1997-2018


Fonte: Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM); Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (SINASC)
Elaboração: SMS Curitiba - Centro de Epidemiologia/CEV
Nota: 2017* dados preliminares

A Secretaria

  • Planejar e executar a política de saúde para o Município de Curitiba
  • Responsabilizar-se pela gestão e regulação dos serviços próprios e conveniados
  • Monitorar doenças e agravos
  • Realizar a vigilância sanitária sobre produtos e serviços de interesse da saúde
  • Visar uma população mais saudável