Em hotel social, pacientes dos Caps recebem hospedagem e planejam o futuro

Hotel social

A Prefeitura promove a reinserção social de pessoas em situação de rua que fazem tratamento nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps). Uma das três unidades do projeto Nova Morada Vida Nova, os hotéis sociais da Prefeitura, oferta hospedagem durante a noite para esses pacientes.

São 50 vagas de hospedagem, com opção de quartos masculinos e femininos em diferentes alas. Assim que o hóspede resgata a autonomia e deixa o projeto, concede lugar para outra pessoa ocupar a vaga.

Segundo a coordenadora de Saúde Mental da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Flavia Adachi, o objetivo da estratégia é efetivar uma política intersetorial de atenção a pessoas com problemas relacionados ao uso de drogas e em vulnerabilidade social.

“Oferecer condições dignas de vida e investir em ações integradas, com tratamento especializado, moradia temporária e resgate dos estudos e da vida profissional, é essencial para a reinserção social dessas pessoas”, explica Flavia.

Para Rafael de Jesus Vieira, 33 anocs, essa é a chance de um recomeço. Ele enontrou no Caps e no projeto a ajuda que faltava.

“Quando eu conheci o Caps foi uma bênção. Antes eu estava desistindo da vida, mas lá eu comecei a reagir”, contou Rafael.

Além de oferecer quarto, banheiro, duas refeições diárias, biblioteca e sala de TV, são proporcionadas ações que garantem o exercício de direitos de cidadania, aumento da autonomia e apoio à construção de projetos de vida com a oferta de cursos profissionalizantes.

Vida Nova
Rafael conta que estava meio desacreditado ao planejar, com equipe do Caps, uma meta audaciosa: em dois meses deixaria a situação de rua e retomaria os estudos.

“Mesmo querendo, achei que seria difícil. Mas hoje eu não me sinto mais um morador de rua, eu tenho um lugar, onde eu posso deixar minhas coisas, descansar, estudar”, relatou com orgulho. Ele já iniciou as aulas.

Para Simone Cristina dos Santos, 42 anos, o diferencial oferecido pelo hotel é a oportunidade de fazer cursos profissionalizantes e ter um endereço para retomar a vida profissional.

“Antes eu não tinha sequer um endereço para colocar no meu currículo, agora tenho”, contou Simone, que segue em acompanhamento diário no Caps e à noite mora no hotel.

O recomeço também é realidade para a auxiliar de serviços gerais Jocélia Menegassi, 51 anos, que passou pelo projeto como moradora e lá mesmo conseguiu um novo emprego. “Fiquei feliz com a oportunidade, hoje eu trabalho aqui e já tenho minha casa”, relatou.

Hotel social
Implantado em abril de 2018, o projeto Nova Morada Vida Nova oferece 150 vagas, em três endereços. Cada unidade atende 50 pessoas diariamente. Duas unidades recebem pessoas encaminhadas pelos Centros de Referência Especializados para População em Situação de Rua (Centros Pop), da FAS. E a outra acolhe pessoas encaminhadas pelos Caps da Saúde.

O projeto resulta de uma parceria entre as secretarias municipais da Saúde e da Defesa Social e Trânsito, por meio do Departamento de Política Sobre Drogas, e a Fundação de Ação Social (FAS). A ação, que conta com o aporte financeiro da Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, já acolheu 797 pessoas desde a implantação.

Unidades de Saúde

Confira a lista de endereços dos equipamentos da SMS.

Leia Mais

Orientação e Prevenção

Veja como ter uma vida saudável e manter hábitos de proteção da sua saúde.

saiba mais

Ouvidoria SUS Curitiba

Sugira, Critique, Elogie e tire suas duvidas. Conheça a Ouvidoria do SUS Curitiba.

Saiba Mais

 

Taxa de mortalidade infantil

A taxa de mortalidade infantil em Curitiba apresenta uma tendência constante de queda.

taxaMortalidade1997-2018


Fonte: Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM); Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (SINASC)
Elaboração: SMS Curitiba - Centro de Epidemiologia/CEV
Nota: 2017* dados preliminares

A Secretaria

  • Planejar e executar a política de saúde para o Município de Curitiba
  • Responsabilizar-se pela gestão e regulação dos serviços próprios e conveniados
  • Monitorar doenças e agravos
  • Realizar a vigilância sanitária sobre produtos e serviços de interesse da saúde
  • Visar uma população mais saudável