Recém Nascido

Saúde da Criança

Programa Nascer em Curitiba

Visando enfrentar a morbimortalidade infantil no município de Curitiba, foi implantado em 29 de março de 1993 o PROGRAMA NASCER EM CURITIBA.

O Programa agrega um conjunto de ações voltadas para os nascidos vivos residentes no município, priorizando os que apresentam maior risco de adoecer ou morrer.

A maternidade é o marco inicial das ações do programa. Lá ocorre o preenchimento da Declaração de Nascido Vivo, que é um documento com informações sobre o momento do parto, o recém nato e a mãe. Também é distribuída pela Secretaria Municipal da Saúde uma pasta contendo material informativo e a Carteira de Saúde da Criança. É o momento em que se estabelece o primeiro contato com a mãe, visando o estímulo ao aleitamento materno, as orientações sobre os primeiros cuidados e importância do acompanhamento pelos serviços de saúde e a adoção de medidas preventivas.

Na continuidade, uma equipe do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde recolhe diariamente as Declarações de Nascido Vivo nas maternidades. A partir da análise desses documentos é feita a identificação das crianças de risco ao nascer conforme os seguintes critérios

Critérios Isolados Critérios Associados

Peso < 2500g. Idade Materna < 20 anos

Apgar no 5º minuto < 07 Escolaridade Materna < 1º grau

Idade gestacional < 36 semanas Filhos tidos vivos > 02

Parto fora do ambiente hospitalar Filhos tidos mortos > 01

As Declarações de Nascido Vivo (DN), já classificadas, são distribuídas aos Distritos Sanitários e às Unidades de Saúde pela proximidade do endereço.

Nas Unidades de Saúde, a partir da DN, ocorre uma busca ativa das crianças, através de visita domiciliar, priorizando para o atendimento na Unidade de Saúde, aquelas crianças classificadas como risco.

O conhecimento de que uma parcela das crianças que não são classificadas como risco ao nascer podem, na evolução, vir a adquirir fatores de risco não detectados no nascimento ( ex. desmame precoce, desnutrição, infecções de repetição, entre outros), orienta os serviços a estar alerta para a identificação de crianças com fatores de risco evolutivo para a inclusão no acompanhamento prioritário. A partir de 1999 a identificação do risco evolutivo vem sendo implementada através do acompanhamento de todos os lactentes usuários dos serviços de saúde do município através de ficha individual de identificação e acompanhamento de fatores de risco evolutivo.

Avançando na detecção de fatores de risco evolutivo, o Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, implantou em abril de 2001 o "Sistema de Vigilância de Alta Hospitalar de Menores de 1 Ano".

Esse sistema busca orientar a atenção prioritária dos serviços de saúde na identificação e acompanhamento, através de visita domiciliar para aquelas crianças sofreram internação hospitalar. Desta forma, reforça o princípio da continuidade das ações e da responsabilização da Unidade de Saúde pela saúde da população de sua área de abrangência.

Faça o download da Cartilha do Programa Nascer em Curitiba em pdf.