Zoonoses e Vetores

Unidade de Vigilância de Zoonoses

Conforme Portaria nº 1138 de 23/05/2014 do Ministério da Saúde, a Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) tem como atribuição a vigilância, prevenção e controle de zoonoses e de acidentes causados por animais peçonhentos e venenosos, de relevância para a saúde pública.

 Entre as atividades desenvolvidas pela UVZ estão:

 1. Ações de vigilância da raiva:

 - encaminhamento de material biológico de animais suspeitos para exame de raiva animal (cães, gatos, morcegos e outros animais silvestres);

- vacinação antirrábica canina e felina em posto fixo (no endereço da UVZ) e em animais contactantes com morcegos;

- remoção de morcego encontrados em situação não habitual da espécie, como caídos, dentro de estabelecimentos e ao alcance de pessoas ou animais;

- observação de cães e gatos agressores que não possuam um tutor ou responsável pelos mesmos, no período de 10 dias;

- ações educativas;

 2. Ações de vigilância da leptospirose:

 - investigação ecoepidemiológica de casos humanos confirmados;

- atividades de manejo, intervenção química e educação em saúde em áreas de risco para a doença;

- apoio técnico aos distritos sanitários nas questões relacionadas ao manejo do ambiente (redução da população de roedores) e prevenção à leptospirose;

- atuação em projetos multidisciplinares (acumuladores);

 3. Ação de vigilância da esporotricose:

 - ações de vigilância e controle frente a casos de esporotricose felina, com encaminhamentos para atendimento clínico, em parceria com Universidade;

- ações de educação e orientações à população quanto à prevenção, tratamento e controle da doença em animais;

 4. Ações de vigilância da febre amarela:

 - vigilância passiva de primatas não humanos, animais que são sentinelas para a doença;

- encaminhamento de amostras para exames laboratoriais em qualquer situação em que ocorra detecção de morte de primata não humano;

- ações de educação à população;

5. Ações de vigilância da leishmaniose visceral canina:

 - investigação dos casos notificados;

- monitoramento sorológico de cães comunitários, para detecção da circulação do parasita, uma vez que até o momento o município é considerado indene;

- encaminhamento de amostras para exame sorológico junto ao LACEN – PR;

 6. Ações de vigilância da fauna sinantrópica (acidentes causados por animais peçonhentos ou venenosos):

 - identificação de espécies de interesse à saúde pública;

- ações educativas destinadas à população e profissionais de saúde quanto ao  manejo, prevenção e controle de animais peçonhentos ou venenosos;

- apoio técnico aos distritos sanitários nas situações relacionados aos animais peçonhentos ou venenosos (escorpiões, lagartas, aranhas, percevejos, entre outros);

  7. Ações conjuntas com outros órgãos da SMS e demais Secretarias no intuito de aprimorar as vigilâncias acima descritas.


        Arquivos disponíveis em formato pdf:       

 Pombos: 

 

Morcegos:

 

Lagartas:

 

Ratos:       

 

Escorpiões: 

 Aranhas:

 Pulgas: 

Carrapatos:   

 Baratas:   

Formigas:

 

 Moscas:   

 Lesmas e caramujos: