Curitiba tem retomada plena de atendimentos com o Saúde 4.1

balancoCuritiba tem retomada plena de atendimentos com o Saúde 4.1

 

Com 5 milhões de vacinas aplicadas contra a covid, a pandemia perdeu força e a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) retomou plenamente os atendimentos para outras doenças e acompanhamentos. A retomada veio com a adoção do modelo Saúde 4.1, desenvolvido pela SMS durante a pandemia e que utiliza recursos como conectividade e inteligência artificial para ampliar o acesso do cidadão aos serviços do SUS Curitibano.

“Temos investido permanentemente em propostas inovadoras para ampliar o acesso do curitibano à rede pública de Saúde”, destaca o prefeito Rafael Greca.

A população já utiliza o modelo Saúde 4.1 no Aplicativo Saúde Já e em outras ações de telessaúde, como os teleatendimentos da Central Saúde Já e a telerregulação. Progressivamente, novos serviços serão incluídos.

“Queremos contribuir para a construção de uma Curitiba conectada à saúde e cada vez mais humana, com um atendimento de qualidade”, diz a secretária municipal da Saúde, Beatriz Battistella.

 

App e Central Saúde Já

Com 2,3 milhões de usuários cadastrados e 18,9 milhões acessos entre janeiro e outubro de 2022, o Aplicativo Saúde Já  passou a exibir o resultado do teste de covid e a emitir o certificado de vacinação anticovid. Também enviou 1,9 milhão de mensagens personalizadas aos usuários.

Criada na pandemia, a Central Saúde Já Curitiba veio para ficar. Em outubro, completou 624 mil teleatendimentos, realizados por 62 profissionais da Saúde e administrativos.

Reformada, a Central ganhou maior capacidade operacional e atualmente oferece 19 serviços, como teleconsultas, suporte à amamentação, agendamento de mamografias e exames citopatológicos.

Telerregulação

De janeiro a outubro, as 138,6 mil telerregulações qualificaram as filas em 26 especialidades médicas, direcionando para consultas com especialistas os casos de real necessidade, reduzindo o tempo de espera.

Do total, 47,4 mil casos seguiram para consultas especializadas e 39,3 mil foram direcionados a exames complementares. As demais situações seguiram o tratamento na própria unidade de saúde, com orientações dos médicos reguladores especialistas.

Vencendo a covid

A Saúde reorganizou prontamente sua rede de atendimento quando foi necessário fazer ajustes, seja para atender os casos de covid-19 causados pela variante Ômicron, seja se antecipando ao aumento sazonal de casos respiratórios, especialmente em crianças.

Com mais de 5 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 aplicadas e 85% da população totalmente imunizada, Curitiba conquistou melhoras contínuas nos indicadores da pandemia.

Em 29 de março, chegou ao fim a obrigatoriedade do uso de máscaras em lugares fechados. Em 12 de abril, a cidade teve o primeiro dia sem internados nas UTIs por causa da doença; no mês seguinte, encerrou-se o Estado de Emergência em Saúde.

Em outubro, Curitiba teve o primeiro dia sem internamentos e registrou a menor incidência de óbitos (4) e de internamentos (24) desde o início da pandemia.

Crianças imunizadas

Em outubro, a cidade registrou 92,3% de média na cobertura vacinal das crianças de até 1 ano.

O percentual supera os 90,7% de 2019 (ano pré-pandemia) e é resultado de uma série de ações da Prefeitura de incentivo à imunização, como oferta de horários alternativos aos sábados e no período noturno, busca ativa de crianças com doses em atraso e a campanha “Quem ama, vacina” .

A SMS aplicou 3 milhões de doses de vacina para todas as faixas etárias.

“Sempre encontro as vacinas na Unidade de Saúde e sou muito bem atendida. Não quero que minha filha adoeça. Não é esforço nenhum trazê-la para ser vacinada”, diz a turismóloga Alessandra Kricheldorf, 36 anos, mãe de Aurora, 4 anos.

Recorde para atendimento odontológico

A Prefeitura está realizando o maior investimento global em saúde bucal da história de Curitiba: R$ 8,7 milhões para a reforma das clínicas odontológicas de 107 Unidades de Saúde.

Até outubro, 46 clínicas foram entregues – 31 delas este ano –, quatro estão em fase final e outras 18 têm obras em andamento, com R$ 4,5 milhões já investidos.

De janeiro a outubro, as equipes de Saúde Bucal realizaram 390,4 mil atendimentos e 773,4 mil procedimentos.

Mente sã, corpo são

Em 2022, a Central Saúde Já passou a ser mais um ponto de acesso aos atendimentos em Saúde Mental, direcionando os usuários aos 357 grupos de acolhida nas unidades de saúde. Os Centros de Atenção Psicossocial (Caps) acompanharam 38,4 mil usuários e fizeram 11,9 mil acolhimentos.

Foi no Caps Bairro Novo que Samanta Aurélia Grande, 33 anos, encontrou suporte para superar traumas, tratar a depressão e retomar a graduação e se tornar empreendedora.

“Fui muito bem atendida quando mais precisei. Sigo em tratamento com psiquiatra, psicólogo e terapias no Caps e me sinto um exemplo de quem não teve vergonha de pedir ajuda e está vencendo”, conta Samanta.

Atendimentos

Com R$ 2 bilhões destinados pela Prefeitura ao SUS Curitibano (19,4% das receitas municipais), as unidades de saúde realizaram 1,7 milhão consultas médicas e 1 milhão de consultas com a enfermagem, entre janeiro e outubro.

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) realizaram 830,2 mil atendimentos; o Samu recebeu 334,9 mil ligações e fez 150,4 mil deslocamentos de pacientes.

Com R$ 43,5 milhões aplicados em medicamentos, a farmácia curitibana entregou 216,7 milhões de unidades de medicamentos, beneficiando 243,2 mil pessoas por mês.

A SMS assegurou 111,9 mil internamentos e 19 milhões de procedimentos ambulatoriais na rede hospitalar credenciada, com R$ 1,2 bilhão repassados pelo município.

O Hospital Municipal do Idoso realizou 5,2 mil internamentos e 1,5 mil atendimentos de emergência; e o Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) acompanhou 9 mil pacientes em suas residências.

O Laboratório Municipal de Curitiba, com a nova esteira automatizada, realizou 4,8 milhões de exames, atendendo 537,9 mil pessoas.

Melhoras contínuas

Este ano, o SUS Curitibano admitiu 2.052 novos profissionais (485 pela SMS e 1.567 pela Feas), totalizando, 9.981 trabalhadores.

A Prefeitura destinou R$ 3 milhões em equipamentos para oito hospitais e R$ 462 mil para 75 equipamentos para a SMS, com recursos de emendas parlamentares.

Dez unidades de saúde foram revitalizadas – Santa Rita, Bacacheri, Caiuá, Caximba, Vila Guaíra, Vila Clarice, Fanny e Lindoia, Osternack, Trindade I e Mãe Curitibana –, além do Centro Especializado em Odontologia Silvio Gevaerd. Foram iniciadas a construção da Unidade de Saúde Umbará 2 e a reforma da Unidade de Saúde Ouvidor Pardinho.

Mais destaques da Saúde em 2022