Notícias

  • chamamentos-ate-1990Saúde vacina nascidos entre 1988 e o 1º semestre de 1990 com a 4ª dose anticovid

    A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba amplia a aplicação da 4ª dose da vacina anticovid e convoca de forma escalonada os nascidos entre 1988 e o primeiro semestre de 1990.

    Na segunda-feira (28/11), serão vacinados os nascidos no primeiro semestre de 1988. Na terça-feira (29/11), será a vez de quem nasceu no segundo semestre de 1988.

    A convocação de novo grupo continua na quarta-feira (30/11), com os nascidos no primeiro semestre de 1989. Na quinta-feira (1º/12), serão vacinados os do segundo semestre de 1989. Na sexta-feira (2/12), poderão receber a vacina os nascidos no primeiro semestre 1990.

    Com essas convocações, a aplicação da 4ª dose da vacina contra a covid-19 atinge pessoas com 32 anos. Para receber a dose de reforço é preciso ter recebido a 3ª dose há 120 dias ou mais.

    Leia mais...
  • mascara-onibusUso de máscara volta a ser indispensável diante do aumento de casos de covid-19

    Com a nova onda de casos de covid-19, o uso de máscaras de proteção volta a ser indispensável para reduzir a circulação do vírus. O Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) reforçou a orientação após avaliação dos indicadores epidemiológicos na reunião desta quarta-feira (23/11).

    Em maio, a SMS lançou um Protocolo de Responsabilidade Sanitária e Social para Doenças de Transmissão Respiratória, entre elas a covid-19, o documento que segue vigente, recomenda e normatiza o uso de máscaras, principalmente para pessoas mais vulneráveis e em locais de aglomeração ou alta circulação de pessoas.

    Recentemente, com a alta de casos em todo o país, o Ministério da Saúde publicou a nota técnica 16/22, que reforça a recomendação do uso da barreira física – máscaras faciais – como medida de prevenção, a Secretaria da Saúde do Estado do Paraná (Sesa) também recomenda a medida em todo o estado por meio da publicação da Resolução nº 786/2022.

    Leia mais...
  • bebe-sem-comorbidadeCuritiba começa a vacinar bebês sem comorbidades contra a covid-19

    Curitiba começou, nesta quarta-feira (23/11), a vacinar os bebês sem comorbidades com a primeira dose da vacina contra a covid-19. Devido à limitação de doses, a convocação será realizada de forma escalonada e com agendamento.

    O primeiro grupo sem comorbidades convocado é o dos curitibinhas nascidos entre 25 de novembro de 2019 a 30 de junho de 2020. Nova convocação depende da disponibilidade de doses. No grupo dos bebês estão as crianças de 6 meses até 2 anos, 11 meses e 29 dias.

    Vacinação de bebês com comorbidades contra a covid-19 traz alívio e segurança, dizem pais
    Crianças que completarem 3 anos antes do recebimento da primeira dose passam a se enquadrar no esquema vacinal do grupo de 3 a 4 anos, que pode ser consultado no Imuniza Já.

    "É um alívio, só faltava ela na família. É muito boa a sensação de proteger nossa filha” diz Rosiane Gonçalves, moradora do Jardim Botânico, que levou a pequena.

    “Eu me atrasei no trabalho, mas saúde é prioridade”, disse assim que a filha, Allicya Hadassa Gonçalves, de dois anos e dez meses, foi vacinada contra a Covid-19.

    A moradora do Jardim Botânico procurou a unidade de saúde Mãe Curitibana, no São Francisco. “É muito boa a sensação de proteger a nossa filha”, conta a mãe, aliviada.

    Também levado à unidade de saúde Mãe Curitibana, Ernesto Moreira Modesto Andrade, de dois anos e cinco meses, recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

    “Ele passou o primeiro ano de vida dele em completo isolamento. Então essa vacina tem um valor muito grande para a nossa família”, disse a advogada Constance Moreira, moradora do Centro, com o filho no colo.

    Leia mais...
  • 5milhoes-dosesCuritiba ultrapassa a marca de 5 milhões de doses de vacina anticovid aplicadas

    Curitiba ultrapassou a marca de 5 milhões de doses de imunizantes contra a covid-19 aplicadas. Decorridos 710 dias das primeiras vacinas aplicadas, em 20 de janeiro de 2021, com os dados da vacinação desta segunda-feira (22/11) as equipes da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) aplicaram 5.010.767 doses nos curitibanos.

    A cobertura vacinal contra a covid-19, se considerada toda a população, é de 89,7% para a primeira dose e 85,2% para a segunda dose ou a dose única. Se considerado o público com 3 anos ou mais, a cobertura sobe para 92% com a primeira dose e 88,9% com a segunda ou dose única.

    Entre as doses aplicadas, 1.710.283 são primeiras doses, 1.660.649 são segundas ou dose única e 1.639.835 são doses de reforço. As doses de reforço apresentam uma taxa de abandono maior que as demais. Cerca de 30% da população está com alguma das doses de reforço em atraso.

    Embora o cenário seja de uma nova onda de casos, devido à variante da Ômicron BQ. 1, o avanço da vacinação foi essencial para controlar o avanço da pandemia e, principalmente, reduzir os índices de casos graves, hospitalizações e óbitos.

    “Nossa gratidão a toda a equipe da saúde pelo trabalho incansável e primoroso da nossa equipe de vacinar, inclusive aos fins de semana. Esse sucesso é resultado de um empenho coletivo, de profissionais da saúde, comunicação e dos curitibanos que atenderam aos chamados e convocações”, agradece a secretária municipal da Saúde, Beatriz Battistella.

    Leia mais...

Unidades de Saúde

Confira a lista de endereços dos equipamentos da SMS.

Saiba Mais

Orientação e Prevenção

Veja como ter uma vida saudável e manter hábitos de proteção da sua saúde.

saiba mais

Ouvidoria SUS Curitiba

Sugira, Critique, Elogie e tire suas duvidas. Conheça a Ouvidoria do SUS Curitiba.

Saiba Mais

 

Taxa de mortalidade infantil

 

taxaMortalidade1997-2018


Fonte: Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM); Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (SINASC)
Elaboração: SMS Curitiba - Centro de Epidemiologia/CEV
Nota: * dados preliminares

A Secretaria

  • Planejar e executar a política de saúde para o Município de Curitiba
  • Responsabilizar-se pela gestão e regulação dos serviços próprios e conveniados
  • Monitorar doenças e agravos
  • Realizar a vigilância sanitária sobre produtos e serviços de interesse da saúde
  • Visar uma população mais saudável